O primeiro case de Conteúdo: The Furrow

O primeiro case de Conteúdo: The Furrow

A palavra conteúdo está em alta no cenário atual do marketing, seja para empresas de pequeno, médio ou grande porte. A estratégia costuma ser associada aos meios digitais, mas o que muita gente não sabe é que a primeira iniciativa de marketing de conteúdo aconteceu em 1895! Trata-se da revista The Furrow, criada pela John Deere muito antes do surgimento do termo marketing de conteúdo. Como qualquer ação de conteúdo, a revista não tinha o objetivo direto de vender produtos, mas ensinar sobre novas tecnologias e levar informações úteis a fazendeiros que buscavam aperfeiçoar seus negócios.

Sucesso instantâneo

A chegada da revista The Furrow teve grande impacto no meio agrícola, já que até então não havia um material do gênero para informar os profissionais do campo. A escalada de sucesso foi veloz e em 1912, menos de 20 anos após o lançamento, a publicação já chegava a 4 milhões de pessoas. Hoje em dia, a The Furrow tem alcance global e tradução para 14 idiomas, porém não manteve a mesma base de leitores: são aproximadamente 2 milhões atualmente. A redução deve ser relativizada se levarmos em conta a revolução provocada pela internet e a queda no meio impresso de uma forma geral.

Através das gerações

A história mais do que centenária da marca John Deere ainda está sendo escrita. Hoje, segue amplamente reconhecida no meio agrícola e conta com suporte dos meios digitais – com uma página de conteúdo e redes sociais. A fanpage no Facebook, por exemplo, tem quase 2,8 milhões de fãs e tradução para diversos idiomas, inclusive o português.

Outro exemplo pioneiro de conteúdo é o Guia Michelin, que até hoje está entre as grandes referências no marketing. A tradicional publicação, que classifica restaurantes e hotéis, foi tema de um post no blog em julho deste ano. Clique aqui e confira.

2016-10-19T10:54:32+00:0019/10/2016|